Com o isolamento social, um dos desafios dos gestores de Recursos Humanos é manter as conexões e a produtividade dos funcionários em alta. Outra preocupação constante é com a preservação da saúde mental. Afinal, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é considerado o país mais ansiosos no mundo: são mais de 18 milhões de brasileiros que sofrem com o transtorno de ansiedade. 

É papel do RH encontrar maneiras de amenizar o nível de ansiedade e angústia, que é elevado neste momento. A verdade é que ninguém está isento dos reflexos do isolamento social. Mas, é possível viver de forma mais saudável, procurando, inclusive, novos aprendizados com essa realidade atual”, afirma Bárbara Nogueira, headhunter da Prime Talent. 

Confira algumas medidas tomadas por RHs em prol dos colaboradores

O Badoo, um dos mais conhecidos aplicativos de relacionamentos do mundo, criou diversas iniciativas, como aulas de Yoga e Meditação por chamada de vídeo. Eles também lançaram uma lista com canais no YouTube e IGTV com atividades como dança, funcional e exercícios leves para fazer em casa. Além disso, os colaboradores da empresa têm acesso a consultas com profissionais de saúde mental. O Badoo também criou um fundo de apoio financeiro para aqueles que não conseguem mais trabalhar devido ao momento que o mundo vive. “A nossa rotina de trabalho ganhou um chat novo no Slack para compartilhamento de memes, fotos de pets, TikToks e tudo quanto é conteúdo para descontrair a equipe. E para fechar, temos um happy hour semanal às quintas depois do expediente com direito a participação de pets e concursos de fantasia”, conta Martha Agrícola, diretora de Marketing do Badoo no Brasil.

O Grupo Nexxera criou o programa People Care com o objetivo de impactar positivamente no bem-estar dos colaboradores, promovendo espaços de escuta ativa. Ele é voltado ao cuidado, servindo como prevenção e autoconhecimento. Um momento para ouvir e fortalecer as relações que são construídas dentro do ambiente organizacional. É realizado por meio de conversas onlines com os colaboradores, que podem ocorrer em qualquer dia da semana. É possível falar sobre tudo: vida pessoal, carreira, família, orientação profissional. O colaborador é quem escolhe. “Nossa maior preocupação como empresa era estar próximo de nossos colaboradores neste novo modelo de trabalho e continuar a ser um RH presente e próximo de todos. Por isso, a primeira semana de home office foi dedicada a adaptar nossos processos e pensar maneiras de continuar nossa relação com o colaborador. Outra preocupação era as complicações emocionais que o isolamento poderia gerar nos nossos colaboradores e, por isso, aceleramos o lançamento do Programa People Care”, explica Scheila Dallagnol, gerente de DHO.

Toda sexta-feira, os colaboradores do Uffa.com.vc, plataforma de renegociação de dívidas e concessão de créditos pela internet, recebem um kit guloseima para o bate-papo semanal. A entrega é programada pelo iFood. Além disso, foi criado um workspace virtual, em que o time fica conectado por área, e também é oferecida psicologia online para aconselhamento pessoal. “Os novos métodos de gestão e de processos recém implantados ajudaram a melhorar a produtividade na nossa empresa. O resultado foi um time 16% mais produtivo durante a quarentena”, conta Ana Pisaneschi, CEO do Uffa.com.vc.

Cada um na sua nave sem abrir mão do aprendizado. Foi a partir desse pensamento que que a Creditas, principal plataforma online de crédito com garantia do  Brasil, iniciou o programa “Quarentraining”, em que, diariamente, são realizados treinamentos online sobre diversos temas – tanto sobre o business, mercado, quanto dicas para uma saúde mental e produtividade no trabalho remoto. Outra iniciativa é o Meditas, programa de meditação que já existia e continua de forma online. As aulas acontecem em diferentes horários para os colaboradores consigam encaixar na rotina. “Participar das meditações online, que acontecem no horário de almoço e no final do dia, tem sido uma calmaria em meio ao caos. Sempre que termino uma meditação, consigo voltar para o trabalho mais tranquila e focada no que preciso fazer” conta Júlia Cristina de Oliveira, analista de CRM.