A nova primeira-ministra da Finlândia, Sanna Marin, sugere a adoção de uma jornada de trabalho alternativa, de seis horas por dia e quatro dias na semana. A proposta de campanha de Marin, a mulher chefe de Estado mais jovem do mundo, foi relembrada pelo jornal britânico Daily Mail.

“Acredito que as pessoas merecem passar mais tempo com as suas famílias e os seus amigos, ocupados com hobbies ou a dar atenção a outros aspetos da vida, como a cultura. Este poderia ser o próximo passo para nós na vida profissional”, disse Marin, antes de se tornar primeira-ministra.

A proposta de Marin é baseada em experiências anteriores que sugerem que a alteração seria benéfica. Em agosto, a Microsoft do Japão implantou uma semana de quatro dias e registrou um aumento de 40% na produtividade. O modelo também já é utilizado na Suécia desde 2015 e apresenta bons resultados.

“É importante permitir que os cidadãos finlandeses trabalhem menos. Não se trata de governar com um estilo feminino, mas de oferecer ajuda e manter as promessas aos eleitores”, afirmou Marin, que defende a medida desde quando era ministra dos Transportes.

Atualmente, a jornada padrão de trabalho no país é de oito horas por dia, cinco dias na semana (40h semanais).

Fonte: Este texto foi publicado originalmente em Revista Forum.