Dezembro é um mês repleto de festas, confraternizações e comemorações. Junto com esses eventos sociais, aumentam, igualmente, as tarefas burocráticas como enfrentar filas para comprar presentes, finalizar pendências no trabalho e fazer o planejamento do próximo ano.

Um estudo feito pela Internacional Stress Management Association Brasil (Isma-BR) revelou que o nível de estresse do brasileiro aumenta, em média, 75% em dezembro. Esse clima de ansiedade coletiva no último mês do ano tem um nome: dezembrite. Apesar do termo engraçado, a dezembrite pode agravar casos de doenças crônicas como depressão, doenças no estômago e coração. Para a empresa, o estresse de fim de ano pode se manifestar em baixa produtividade e refletir no clima organizacional.

Planejamento é essencial 

Segundo Thais Mendes, co-fundadora e diretora executiva na GTO Recursos Humanos, o segredo é ter um planejamento durante o ano todo. “Não dá para chegar no final do ano e verificar que está tudo muito tumultuado, querer fazer tudo correndo, pedir hora extra de colaborador e levar trabalho para casa. Não dá para no final do ano tentarmos reverter em um único mês tudo aquilo que não fizemos o ano inteiro. Afinal, as atividades pessoais também se intensificam nessa época e a entrega de resultado na empresa precisa continuar tendo qualidade”, afirma. 

Alexandre Slivnik, especialista em gestão de equipes e excelência em comunicação interna, avalia que na maioria dos casos, na verdade, não há queda de desempenho em dezembro. “Como dezembro é um mês com menos dias úteis, então, obviamente, os colaboradores têm menos tempo para cumprir com suas metas. Sabendo disso, o RH precisa tirar essa pressão e planejar o que pode ser feito com qualidade em menos dias. Particularmente, também acredito que os gestores precisam olhar para seus colaboradores durante o ano todo e assim estabelecer metas realistas para cada mês”, pondera. 

O especialista acredita que, principalmente, em dezembro o ambiente de trabalho precisa ser leve e divertido. “Quando não é possível conceder recesso, uma dica para manter a motivação é organizar momentos de celebrações internas para que, naquele momento, o funcionário queira estar ali”, recomenda.

De acordo com Fábio Abate, sócio do NETAS, consultoria de treinamento corporativo com metodologia que abrange conteúdo inteligente, dinâmica vivencial e processamento construtivo, é importante deixar o mais claro possível, desde a contratação, sobre como a empresa faz negócios, qual sua sazonalidade e como ela se organiza em datas especiais. 

Na Millenium Transportes, empresa especialista em logística e transportes, dezembro é um dos meses em que há mais demanda de trabalho. Jessica Araujo, responsável pelo departamento de Recursos Humanos, acredita que por se tratar de um período com altas demandas de serviços por conta do ramo da empresa, os colaboradores ficam ainda mais engajados em entregar o trabalho. “Mas, mesmo com mais demanda, consideramos dezembro um mês de comemorações e reconhecimentos, onde aproveitamos para presentear os colaboradores pelo trabalho exercido ao longo do ano.” 

Já na Lambda3 os gestores costumam diluir as atividades ao longo do ano para não impactar nesse período.“Sabemos que dezembro é um mês mais estressante, então, buscamos reduzir o volume de atividades internas para que as pessoas possam fazer suas entregas com qualidade e se organizarem para os eventos pessoais de final do ano”, conta Patrícia Kost, especialista em gestão de pessoas e people business partner da Lambda3.