O podcast é a mídia do momento. Segundo o Spotify, desde janeiro do ano passado os programas de áudio vêm crescendo em média 21% ao mês. E, conforme estudo realizado pela Associação Brasileira de Podcasters (Abpod), existem no país, 2 mil podcasts veiculados com regularidade (semanais, mensais etc.). Realizado em parceria com o Ibope Inteligência, o levantamento ainda indicou que 40% dos 120 milhões de usuários da internet no Brasil já ouviram pelo menos uma vez um programa desse tipo. O contingente, de cerca de 48 milhões de pessoas, equivale à população inteira da Colômbia.

Para quem produz, o podcast tem a vantagem de ser muito mais barato do que um conteúdo em vídeo ou mesmo um programa de rádio. Além disso, pode ser gravado em qualquer horário e local, com apenas um telefone celular, e publicado sem custos – só é necessário ter acesso à internet. Para quem ouve, as vantagens são a de poder escutar apenas podcasts sobre temas de interesse, sem custos e na hora em que for mais conveniente – no banho, na academia, no caminho para o trabalho, por exemplo.

Tantas facilidades vêm impulsionando a disseminação do modelo de conteúdo no planeta. Um levantamento da Interactive Advertising Bureau (IAB) e da PwC estima que em 2021 a indústria norte-americano de podcasts deva superar a marca de US$ 1 bilhão em valor. Somente neste ano, o total gerado por este mercado do podcast nos Estados Unidos foi de US$ 479,1 milhões.

Com tamanho potencial de mercado, o modelo também vem chamando a atenção de empresas mundo afora. A Google começou a indexar a mídia diretamente nos resultados de pesquisas do seu buscador. A Apple irá financiar podcasts exclusivos para sua plataforma. Já companhias como McDonald’s, Microsoft e New Balance lançaram podcasts próprios voltados aos seus consumidores.

No Brasil, várias empresas já embarcaram na onda dos podcasts. A SMZTO Holding de Franquias, por exemplo, lançou a Rádio SMZTO. O programa, veiculado às quintas-feiras, conta os mais variados tipos de histórias de pessoas ligadas ao empreendedorismo – empresários, executivos, franqueados, investidores, atletas, artistas, entre outros.

O podcast pode ser acessado no Spotify, iTunes, Apple Podcasts e Deezer – para ouvi-lo, digite “Rádio SMZTO” em qualquer das plataformas. “Queremos nos tornar referência  de conteúdo para nossos franqueados, sócios, colaboradores das empresas investidas e para todos aqueles que de alguma forma nos acompanham e admiram nossa história”, explica Beatriz Semenzato, diretora de Marketing da empresa e apresentadora do podcast.

Empresas brasileiras que mantêm podcasts próprios

  • Anacapri
    O podcast “Beleza Pra Quem?”, da empresa de calçados femininos, aborda o autoconhecimento da mulher.
  • Itaú Unibanco
    O Investcast é um podcast voltado aos acionistas do grupo.
  • Mapfre
    Na sua primeira temporada, os podcasts trazem entrevistas com profissionais atuantes no mercado de inovação.
  • Nielsen Brasil
    Voltado ao público geral, o “Inovações de sucesso” aborda tendências de consumo. Além deste programa, a empresa mantém um podcast fechado para a sua equipe.
  • Novartis
    A farmacêutica lançou podcasts voltados aos colaboradores que trabalham visitando médicos e operadoras de saúde.