Já parou para refletir que, no mercado de trabalho, existe um preconceito inconsciente com a faixa etária do profissional? Em algumas empresas isso está mudando, mas com certeza ainda há muito para evoluir. 

De acordo com projeções do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 30 anos haverá 25% da população com mais de 60 anos. Com essa previsão, algumas empresas já colocaram o tema diversidade intergeracional em pauta e perceberam benefícios. “A tendência é que profissionais com mais de 60 anos sejam cada vez mais necessários para manter a produtividade e as contas do país”, comenta Marcelo Olivieri, headhunter diretor da Trend Recruitment, consultoria boutique de recrutamento e seleção de marketing e vendas.

Olivieri explica que existem várias vantagens na contratação de profissionais com mais de 60 anos. “O primeiro ponto trata-se da experiência e da maturidade do profissional. Provavelmente, será alguém que teve não só uma grande experiência profissional, mas também uma forte experiência de vida, trazendo sabedoria para lidar com certos problemas.” 

“Quando uma empresa abre as portas para as diferenças, também receberá a inovação, a criatividade, o engajamento e uma maior dedicação de seus colaboradores. A imagem corporativa é valorizada, a produtividade aumenta e o turn over diminui”, afirma Daniela Tessler, sócia da Odgers Berndtson Brasil, uma das maiores empresas de seleção de executivos de alto nível do Brasil.

Existem diversos países, principalmente na Europa, que vêm enfrentando um processo de envelhecimento populacional e dependem da mão de obra de pessoas com mais de 60 anos. Trata-se de um processo duplo: há a necessidade, mas também há uma evolução na forma de pensar. Segundo uma pesquisa da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE),  os trabalhadores entre 55 e 74 anos apresentam aumento de 85% no emprego na Europa.

No Brasil, caminhamos em direção às mudanças: um exemplo de empresa que já incorporou políticas de inclusão para pessoas 60+ é a Pormade, uma das principais fabricantes de portas no Brasil, que atualmente, emprega 37 profissionais com mais de 60 anos de idade. “Para nós da Pormade, a idade é aproveitada como uma vantagem competitiva, pois, acreditamos que a experiência adquirida com os anos de trabalho é algo único, não existe fórmula mágica para a aquisição de experiência, ela só é possível por meio do trabalho por diversos anos, sendo assim, aqui optamos por aproveitar todo esse conhecimento”, afirma Rafael Jaworski, diretor de RH da Pormade Portas.

Claudio Zini, diretor-presidente da Pormade, aos 70 anos, se inspirou em sua própria trajetória e experiência para apoiar a inclusão de profissionais 60+ na Pormade. “Acredito que a idade não estabelece um padrão. Ao meu ver, a paixão pelo trabalho, após os 60, é cada vez maior, pois o profissional conhece mais da vida em si e dos negócios. Aos 70, amo trabalhar com pessoas, gosto de equipes vibrantes, desafiadoras. Adoro novos desafios, crises, sou um apaixonado por educação, tecnologia e por grandes pensadores. Sempre penso, quais habilidades preciso desenvolver para encarar os novos desafios? Que pessoas melhores do que eu devo contratar? A cada nova tecnologia incorporada ao meu negócio, sinto-me um profissional ampliado. Paixão pelo trabalho é o segredo da felicidade, da saúde, do bom humor, da longevidade”,comenta Zini.

Seleção às cegas para eliminar preconceito inconsciente

Uma das estratégias que o RH utiliza para minimizar o chamado preconceito inconsciente nos processos seletivos e aumentar a diversidade dentro das empresas é a seleção às cegas. “O recrutamento às cegas inibe qualquer tipo de preconceito ou viés por parte do recrutador e aumenta a contratação de diversidade em geral”, afirma Olivieri.  

Neste mês, a seleção às cegas começou a ser adotada no programa de estágio da fintech Neon. Durante as primeiras etapas do processo seletivo, realizado virtualmente, o estudante não precisa informar endereço, gênero, idade, nome da universidade e raça, de forma a eliminar vieses de contratação.

São 12 vagas em cinco áreas (gestão, design, jurídico, marketing e TI), para atuar na cidade de São Paulo. As inscrições ficam abertas até 17 de novembro e há sete cargos disponíveis no momento: compliance e risco operacional; design de produto; jurídico; marketing; melhoria contínua; sistemas de interface; e sistemas de produto.