A transformação do trabalho está oficialmente em andamento. Nos últimos anos, a ascensão da computação em nuvem tornou possível que as pessoas trabalhem de qualquer lugar em que possam acessar uma conexão à Internet, o que evoluiu as expectativas sobre trabalho.

Um estudo realizado pela Bureau of Labor Statistics nos EUA estima que quase um quarto (23%) dos trabalhadores dos EUA trabalham remotamente pelo menos parte do tempo e que acordos de trabalho flexíveis se tornaram um benefício cada vez mais comum para atrair talentos. À medida que funcionários e candidatos começam a esperar mais flexibilidade, as empresas estão lutando com o desenvolvimento de melhores práticas para apoiar a força de trabalho. 

Para entender melhor o impacto que essa mudança está causando no local de trabalho e em seus funcionários, incluindo como está afetando a gestão de pessoas, a Ultimate Software realizou uma pesquisa com mil trabalhadores norte-americanos em empresas que possuem funcionários remotos e presenciais. “Descobrimos vários pontos interessantes, mas um deles se destacou: trabalhadores remotos estão prosperando. Agora é a hora dos gerentes entenderem melhor e começarem a se adaptar a essa dinâmica”, afirma Vivan Maza, uma das principais motivadoras da cultura da Ultimate Software. 

“Na Ultimate Software, adotamos o trabalho remoto como parte de nosso compromisso de apoiar o sucesso e a felicidade de nossos funcionários – não importa onde eles trabalhem. Com 40% de nosso pessoal trabalhando virtualmente há muitos desafios (e recompensas) em manter nosso pessoal engajado e prosperar, mesmo quando estão a milhares de quilômetros da sede da empresa”, comenta. 

Se sua organização está pensando em implementar uma política de trabalho remoto pela primeira vez ou deseja expandir uma política existente, aqui estão os três principais fatores, baseados na experiência de Vivian Maza. 

1. Mantenha as linhas virtuais de comunicação abertas

Pergunte a qualquer gerente de sucesso o fator mais importante para impulsionar o crescimento e o desenvolvimento de seus subordinados diretos, e eles provavelmente irão concordar que é necessário fornecer um feedback consistente e construtivo. Costuma-se presumir que os funcionários remotos se sintam “fora da vista, fora da mente” com suas equipes e colegas, mas, de fato, nossa pesquisa descobriu que os gerentes estão dando a mesma quantidade de feedback para colaboradores que trabalham remotamente e para aqueles que trabalham no escritório: 75% dos gerentes nos disseram que oferecem feedback, pelo menos, uma vez por semana aos funcionários, enquanto 73% fazem o mesmo para funcionários remotos.

É interessante notar que alguns gerentes internos têm mais problemas para fornecer feedback pessoalmente. Para esses gerentes, a tecnologia pode ser uma ferramenta útil para trabalhar melhor com relatórios e fornecer feedback regular e anônimo.

2. Preocupe-se com a produtividade, mas não microgerencie

Uma das maiores preocupações relatadas pelos gerentes de funcionários remotos é o monitoramento da produtividade de seus funcionários, embora os próprios funcionários remotos se sintam mais produtivos. Essa desconexão é preocupante e indica um mal-entendido entre gerentes e funcionários remotos. Como o gerente não consegue ver o funcionário fisicamente, eles podem sentir, desnecessariamente, a obrigação de gerenciar seus colaboradores excessivamente, o que pode, realmente, atrasar o trabalho e criar tensão.

A tecnologia também pode desempenhar um papel importante no enfrentamento desse desafio: as ferramentas de comunicação colaborativa podem servir como uma maneira de baixa pressão para os trabalhadores remotos fornecerem atualizações rápidas sobre o progresso do projeto, ajudando a tranquilizar seus gerentes. A videoconferência para reuniões também pode ajudar dando aos funcionários remotos a chance de sentir que estão na sala de conversas importantes. 

Em um nível mais pessoal, os gerentes devem garantir que estejam estabelecendo uma relação de confiança e uma conexão individual com cada um de funcionários – remotos ou locais. Para ajudar a construir um relacionamento confiável e transparente desde o início, os gerentes e os líderes devem definir claramente suas expectativas em relação aos prazos  e projetos em andamento.

3. Cuidado com a Síndrome de Burnout

Em uma cultura de trabalho sempre ativa, o risco de Burnout é um problema para todos os funcionários. Principalmente, no caso dos trabalhadores remotos, que tendem a trabalhar além do horário estabelecido.

Um motivo potencial para essas horas a mais é a percepção de produtividade discutida acima: os trabalhadores remotos podem se sentir mais pressionados para trabalhar mais por conta da percepção de que não são tão produtivos quanto seus colegas de trabalho. Os gerentes devem verificar frequentemente com os funcionários remotos sobre seu bem-estar, e sua carga de trabalho, para garantir que não estejam sobrecarregados.

Fonte: Este texto foi publicado originalmente em Forbes e traduzido e adaptado do inglês.