Renata-Felix-Curriculo-Preparar

Com a taxa de desemprego crescendo, a competição por vagas é ainda mais acirrada. Segundo dados divulgados no dia 29 de junho pelo IBGE, no trimestre encerrado em maio o índice chegou a 12,7%. A boa notícia é que cada vez mais profissionais estão se preparando para não perder chances, e isso inclui ter um currículo capaz de prender a atenção de recrutadores.

O mercado depois da crise iniciada em 2012 aumentou a concorrência por boas posições de trabalho. Ainda assim, empresas seguem selecionando candidatos, porém com um olhar mais afiado e direto. E mesmo candidatos qualificados, que têm muito potencial para desempenhar um bom trabalho, acabam perdendo chances já no início do processo seletivo.

A alta competitividade reduziu o tempo que recrutadores têm para avaliar todas as informações  de todos os candidatos a uma posição em aberto. Inclusive,  a The Ladders, empresa especializada em recrutamento, divulgou há alguns anos, depois de extensa pesquisa, que a maioria dos currículos são deixados de lado após seis segundos.

Para conseguir manter a atenção dos recrutadores, é preciso estratégias que aumentam as chances de um candidato ser notado já no primeiro contato, o que é fundamental para ser chamado para uma entrevista. A primeira delas é ter um objetivo profissional bem claro, com uso de palavras-chave relacionadas à área em que o profissional deseja atuar.

Se antes da crise era importante ter um currículo cheio de experiências, agora o jogo é outro. O documento de um profissional deve ser direto, minimalista e capaz de causar impacto rapidamente, captando a atenção do recrutador por mais de alguns segundos.  Além disso, esta atenção deve ser renovada a cada nova área do CV para que ele perceba todo o potencial de um candidato e queira conhecê-lo pessoalmente.

Estar preparado para todas as etapas de um processo seletivo é mais importante para conseguir uma vaga do que possuir extensa experiência. Sem saber como se lançar em oportunidades concorridas, muitos profissionais acabam fazendo parte da estatística de desemprego.

Os recrutadores gostam do currículo no formato simples com informações que facilitam a leitura. Abaixo, listo as três principais dicas:

 

1 Monte uma estratégia para cada currículo que for enviar

Os profissionais costumam montar um currículo único para aplicar para todas as vagas e isso faz com que ele perca a aderência com a vaga. Os recrutadores levam poucos segundos para tomar a decisão de descartar um currículo ou não. Para que isso não aconteça, o candidato precisa, já na primeira linha, deixar claro o seu objetivo profissional. Por isso, ao invés de colocar no objetivo diversos cargos diferentes, ele deve adaptar a estratégia para cada vaga e isso já vai chamar a atenção do recrutador.

 

2 Faça um resumo profissional

Mais uma vez, pensando na agilidade que os recrutadores precisam ter ao realizar um processo seletivo, os currículos precisam ter um excelente resumo profissional. Isso porque é no resumo que você tem a chance de dizer, em algumas frases, o porquê você é um profissional que deve ser contratado. Sem um resumo, o recrutador tem que ler toda a sua experiência nas empresas que já trabalhou e tirar uma interpretação do que você pode fazer. No resumo, você já fala ‘de cara’ o que é capaz de fazer e porque pode ser útil para a nova empresa. Você deve falar sobre suas principais competências e de que forma elas se traduzem em resultados para as empresas.

 

3 Invista em palavras-chave

Outro ponto muito importante do CV são as palavras-chave. Quando a gente procura algo no Google, por exemplo, as palavras que digitamos são chamadas de palavras-chave. É mais fácil para os recrutadores buscarem profissionais a partir do que eles querem, do que publicar uma vaga e ter que analisar dezenas ou até centenas de currículos, pois, muitos, nem fazem sentido para a vaga. Por isso que eles utilizam os filtros na hora da busca colocando essas palavras-chave, de forma que só apareçam candidatos que contenham elas no seu currículo.