Publicada em 28 de fevereiro de 2011, pelo Ministério do Trabalho (MTE) no Diário Oficial da União, a portaria 373 possibilita a adoção de sistemas alternativos eletrônicos para marcação de ponto nas organizações mediante acordo coletivo com o sindicato da categoria.

Com essa possibilidade, os Recursos Humanos podem acompanhar a gestão da jornada de trabalho dos funcionários a partir da coleta por qualquer aparelho como desktop, laptop, smartphone, tablet ou relógio sem impressora. “Esse modelo tem tornado os relógios de ponto eletrônico opcionais, já que impacta em uma economia significativa de tempo e dinheiro, a começar pela eliminação de custos de manutenção desses relógios, peças de reposição, sem contar o espaço físico necessário para fixação do equipamento”, explica Felipe Waltrick, diretor de tecnologia da iFractal.

Ao migrar para a portaria 373, as empresas podem contar com aplicativos multiplataformas para que seus funcionários realizem o registro de ponto de forma segura com foto, geolocalização, acesso às marcações e justificativas, assim como as empresas que adotam o trabalho remoto e que possuem flexibilidade no registro de ponto fora da empresa já se beneficiam.

Décio Melo, gerente de Recursos Humanos da Victory, consultoria em planos de saúde, utiliza a portaria 373 desde 2015. “A redução de custos veio no primeiro mês. Antes da implantação do sistema em nuvem, eu não conseguia ter uma visão estratégica para tomar medidas preventivas e evitar questões trabalhistas. No meu caso, uma das vantagens em utilizar um sistema que permite a marcação com foto foi conseguir visualizar, diariamente, se os colaboradores estão vestidos com nosso uniforme, essa era uma questão importante. Outros ganhos foram com agilidade e, por permitir, uma gestão mais transparente”, afirma.