Perder horas no trânsito e transporte público está cada vez mais comum nas grandes cidades. Pensando em mudar essa realidade, o projeto Bike da Firma, criado em São Paulo pelo estúdio criativo Señores, incentiva as empresas a substituírem o vale-transporte por bicicletas.

Por meio de uma assinatura mensal, o Bike da Firma oferece bicicletas elétricas para os funcionários da empresa interessada. No painel de controle do aplicativo, o gestor determina uma meta em quilômetros ou frequência. Quando o objetivo é atingido, o funcionário ganha prêmios, que podem ser desde um dia de folga até crédito para a compra de livros.

Para receber o prêmio, o funcionário precisa instalar o aplicativo no seu smartphone, se associar a empresa por meio do e-mail corporativo e acionar o aplicativo quando começar e terminar uma pedalada. O App então capta os dados da pedalada, que são enviados para o servidor e analisados por um algoritmo que garante que o deslocamento aconteceu de bicicleta.

Além de calcular dados como calorias queimadas e gasolina poupada, o aplicativo também mostra a quantidade de CO2 (dióxido de carbono) que são deixados de emitir e que podem ser trocados por créditos de carbono, o que associa a imagem da empresa com ações de sustentabilidade.

“Os benefícios são inúmeros. Para o ciclista, ele tem uma melhora na qualidade de vida e condicionamento físico, menos estresse e controle no tempo de deslocamento. Para a empresa, ela tem funcionários mais felizes e produtivos, já que a atividade de andar de bicicleta aumenta o poder de concentração”, comentam Marcelo Pena Costa e Fábia Barbieri, sócios do projeto.

Quem já vai trabalhar de bike

Independente de clima ou temperatura, há dois anos e meio, o diretor de tecnologia, Felipe Waltrick, pedala 6 km, por dia, para ir e voltar do trabalho, em São Paulo.  Ele conta que, resolveu utilizar a bicicleta como meio de transporte, após uma reflexão sobre como seria bom, para ele e para sociedade, se tivesse um carro a menos no trânsito. “De lá para cá, sai de uma condição sedentária, emagreci e tenho mais disposição, além de chegar mais rápido no meu destino”, conta.

Felipe lembra que para um pedalada segura é preciso seguir as regras do trânsito e  utilizar os equipamentos de segurança. “Andar na contramão é extremamente perigoso. Sempre vá na mão dos carros e respeite os semáforos.”

Para os iniciantes, a ajuda de um Bike Anjo, ONG em que voluntários ajudam ciclistas nas suas primeiras pedaladas na cidade, é bem-vinda.