Imagem: Divulgação

No terceiro dia do 41º Congresso Nacional Sobre Gestão de Pessoas 2015, a palestra “Saúde e Doenças nas Organizações”, apresentada pelos médicos Drauzio Varella e Mauricio Ceschin, diretor-presidente da Qualicorp e membro do conselho de administração do Hospital Sírio-Libanês, não poderia ter sido mais esclarecedora para os profissionais de Recursos Humanos. Os especialistas reforçaram a importância de ações que visam a promoção à saúde e a gestão assistencial no ambiente corporativo.

Segundo Ceschin, 70% do sistema de saúde brasileiro, público ou privado, é financiado por empresas. “Quem pode fazer a mudança na saúde é quem patrocina, por isso, é preciso cobrar a gestão assistencial dos planos de saúde”, afirma o diretor da Qualicorp. Ele ainda lembra que essa é a única maneira de controlar o custo.

Fonte: Divulgação

Drauzio Varella salienta que as empresas que investem em prevenção de doenças dos colaboradores ainda são exceções. “É raro encontrar um programa de promoção à saúde. O Brasil ainda não tem essa tradição, viemos de um passado de doenças infecciosas e parasitárias. Agora o perfil mudou: a falta de exercícios físicos, a alimentação rica em gordura e açúcar e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas e tabaco estão causando diversas doenças crônicas nos brasileiros como diabetes e doenças do coração. O desafio mudou. Temos que ter uma mudança de paradigma e encontrar um jeito de transmitir essa mensagem”, explica.